Como reduzir o uso das telas na rotina da criançada

Postado em
Criança, sentada, olha para a tela de um smartphone que está em suas mãos
Postado em

Crédito: Polina Strelkova/iStock

Em um mundo cada vez mais digital, é desafiador equilibrar o uso da tecnologia na rotina das crianças. 

Apesar de a televisão, o tablet, e os demais aparelhos eletrônicos serem ferramentas muito usadas para o entretenimento da criançada, diversos especialistas apontam que o uso excessivo de tela prejudica pilares essenciais do desenvolvimento infantil como a interação humana, a linguagem e a concentração.

Neste sentido, como pais e responsáveis, a questão de como reduzir o uso das telas sem gerar resistência ou frustração muitas vezes paira sobre nossas cabeças. Por isso, o blog da Vila da Mônica vai explorar seis estratégias práticas para tornar esse equilíbrio uma realidade na vida da criançada.

1. Estabelecer limites com compreensão

Definir limites para o tempo de tela é essencial, mas fazer isso com compreensão é ainda mais importante. Ao envolver as crianças na criação de regras, você promove uma compreensão mais profunda dos motivos por trás dos limites estabelecidos, transformando a experiência em um processo colaborativo.

2. Oferecer alternativas atraentes

Tornar as atividades sem o uso de telas igualmente cativantes é uma estratégia eficaz. Ao oferecer outras opções de lazer, como jogos ao ar livre, leitura de livros ou atividades criativas, você proporciona às crianças alternativas interessantes que podem competir de igual para igual com os computadores e videogames.

Você também pode programar passeios divertidos e que ao mesmo tempo estimulem o desenvolvimento da criança. A Vila da Mônica, por exemplo, oferece cerca de 20 atrações, com atividades lúdicas e educativas que estimulam a coordenação motora, a imaginação, a interação social e muito mais!

3. Criar espaços sem o uso de telas

Outra opção interessante para diminuir o uso de telas é estabelecer áreas específicas da casa como “zonas sem tela”. 

Esses espaços, como a sala de jantar ou o quarto de brincar, servem como refúgios onde a presença de dispositivos eletrônicos é limitada. Isso promove momentos de desconexão digital e fortalece a interação presencial e as trocas intrafamiliares.

4. Limitar horários para o uso de telas

Estabelecer horários específicos para o uso de telas pode ser benéfico. Ao definir períodos específicos do dia para atividades digitais, você cria uma rotina mais previsível e ajuda as crianças a desenvolverem uma relação mais equilibrada com a tecnologia.

5. Ser o exemplo 

Crianças aprendem pelo exemplo. Ao demonstrar um uso saudável das telas em sua própria rotina, a mamãe e o papai criam um modelo positivo para os pequenos seguirem. Isso inclui limitar o uso do celular durante momentos em família, o que ajuda a mostrar o valor das interações pessoais.

6. Explorar juntos o mundo offline

Por último, participar ativamente das atividades offline com as crianças também faz uma grande diferença. Seja brincando, praticando esportes, cozinhando ou explorando a natureza, compartilhar experiências sem o uso dessas tecnologias estreita os laços familiares e mostra que a diversão vai além das telas.

Reduzir o uso das telas na rotina da criançada é um desafio que pode ser transformado em uma jornada de descobertas e conexões significativas. 

Fora do mundo digital há tantas opções de diversão, e a Vila da Mônica te mostra como aproveitá-las da melhor forma em família. Para isso, basta ficar ligada nos conteúdos do nosso blog e nas nossas redes sociais

Logo Vila da Mônica Gramado